Paraná deve produzir 310 mil toneladas de Feijão da Segunda Safra

imagem: Paraná deve produzir 310 mil toneladas de Feijão da Segunda Safra
Fonte: foto
01/06/2021A área, de 254,3 mil hectares, apresenta aumento de 13% na estimativa comparativamente à safra 2019/2020.

A segunda safra de feijão iniciou com estimativa de produção de 502 mil toneladas, 83% acima do volume do ano passado. No entanto, devido à seca prolongada, a estimativa teve uma redução de 192 mil toneladas.

 

Esse cenário é semelhante ao do ano passado, pois o feijão é uma cultura suscetível a riscos. Além da seca, as baixas temperaturas registradas em maio e as geadas desta semana prejudicaram a safra”, explica o economista do Deral, Methodio Groxko. O levantamento realizado pelos técnicos do Deral indica a produção de 310 mil toneladas.

 

A área, de 254,3 mil hectares, apresenta aumento de 13% na estimativa comparativamente à safra 2019/2020. Até o momento, a colheita atingiu 44%, e deve ser concluída em junho. Segundo o economista, o produto colhido até o momento não apresenta boa qualidade, principalmente pela má formação dos grãos. Atualmente, 36% das lavouras apresentam condições consideradas ruins, 40% médias e 24% boas. Quanto às fases, 28% das lavouras estão em frutificação e 72% em maturação.

De acordo com Groxko, o Paraná é o principal fornecedor de feijão nesta época do ano e, apesar da forte redução da produção, o mercado está com poucos negócios. Os preços tiveram queda nas últimas semanas, mesmo com a oferta menor do produto, principalmente pela dificuldade que os atacadistas encontram para repassar qualquer aumento ao mercado varejista.

 

Hoje, devido aos preços nas gôndolas, o consumidor final começou a mudar seus hábitos, e busca produtos como frangos e massas para substituir o feijão”, explica. A redução do valor do auxílio emergencial pago pelo governo federal e a queda na compra de cestas básicas também interferiram neste processo.

 

Na comparação mensal, os preços pagos compensam os custos de produção. No mês passado, o feijão-preto foi comercializado por R$ 255,71 a saca de 60 kg. Agora, está R$ 266,58. Em abril de 2021, a saca de 60 kg de feijão-cores era comercializada por R$ 264,14, em média. Em maio, o valor foi de aproximadamente R$ 267,37. A tendência para as próximas semanas é de estabilidade nos valores e menor influência do clima nas lavouras.

Fonte: Deral

Outras

  • Mega Irati - Banner
  • Mega Irati - Banner
  • Mega Irati - Banner
  • Mega Irati - Banner
  • Mega Irati - Banner
  • Mega Irati - Banner
  • Mega Irati - Banner
  • Mega Irati - Banner