Terça, 29 Janeiro 2019 09:02

Serviços Urbanos atende centro e bairros

Esta semana, a Secretaria de Serviços Urbanos deslanchou diversas frentes de trabalho no centro e bairros da cidade, com interrupções apenas em períodos de chuva intensa.

Uma das equipes iniciou reparos no calçamento da Rua Mikaldo Zela, na Vila São João.

Outra equipe trabalhou durante a semana na limpeza no prédio que seria a nova sede da prefeitura, na Avenida Perimetral. O espaço deverá receber adequações e reconstrução interna, pois no período em que permaneceu abandonado, foi alvo de vândalos e de depredações. A administração já está desenvolvendo um esquema para utilização de parte do prédio por repartições municipais, atuando naquele local de forma permanente.

A secretaria de Serviços Urbanos também efetuou limpeza do Arroio Nhapindazal, no Bairro Nhapindazal.

Serviços de patrolamento e cascalhamento foram providenciados na Rua São Paulo, que fica na Vila São João, na Avenida das Torres, desde os fundos do Centro de Tradições Willy Laars até o Bairro Alto da Lagoa, e na Rua Pedro Moreira, no Promorar.

Fechando a semana, a equipe do tapa-buracos está efetuando a limpeza das rotatórias, iniciando pelas principais, a partir da entrada da cidade, na Rua Dona Noca.

    Arroio Nhapindazal Prefeitura Nova 01 Rua Mikaldo Zela 01 Rua Mikaldo Zela 02 Rua São Paulo 01

 

 

-- 

Secretaria de Comunicação

Prefeitura Municipal de Irati

EM REBOUÇAS, UMA CASA FOI INVADIDA E DE SEU INTERIOR FURTARAM UM VIDEO GAME XBOX 360. O SOLICITANTE NÃO SOUBE PRECISAR POSSIVEIS SUSPEITOS.

 

APÓS VÁRIAS DENÚNCIAS ANÔNIMAS, DE QUE UM VEÍCULO SAVEIRO BRANCA, ESTARIA CIRCULANDO PELAS VIAS PÚBLICAS COM SOM EXCESSIVAMENTE ALTA, A EQUIPE POLICIAL SAIU EM PATRULHAMENTO, E LOCALIZOU O REFERIDO VEÍCULO, MAS NO MOMENTO DA ABORDAGEM O SOM NÃO ESTAVA ALTO.

OS POLICIAIS IDENTIFICARAM O CONDUTOR, FIZERAM O TESTE DO ETILÔMETRO, E OBSERVARAM QUE A TARJETA DA PLACA ESTAVA DIFERENTE DO DOCUMENTO, SENDO ENTÃO O VEÍCULO APREENDIDO.



EM IMBITUVA, A EQUIPE POLICIAL ACOMPANHOU UMA MULHER QUE ALEGAVA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA, ATÉ A CASA DO POSSÍVEL AUTOR NA  RUA VALENCIO PENTEADO, RESIDENCIA DA GENITORA DO AUTOR E ONDE SEGUNDO A VÍTIMA, TERIA OCORRIDO A AGRESSÃO. NO LOCAL E EM CONTATO COM O SUPOSTO AUTOR, ESTE SE PROTIFICOU ACOMPANHAR A EQUIPE, E RELATOU QUE NÃO AGREDIU SUA ESPOSA, QUE A MESMA TOMOU O SEU CELULAR E TENTOU QUEBRÁ-LO, MOMENTO EM QUE ELE REAGIU PARA TOMAR DELA O CELULAR, CAUSANDO PEQUENA LESÃO NA ORELHA. AINDA RELATOU O SUSPEITO QUE O “CHUPÃO” QUE SUA MULHER APRESENTAVA NO PESCOÇO NÃO HAVIA SIDO FEITO POR ELE.

DIANTE DOS FATOS OS ENVOLVIDOS FORAM ENCAMINHADOS AO HOSPITAL PARA PREENCHIMENTO DE LAUDO DE LESÃO CORPORAL E NA SEQUENCIA APRESENTADOS NA DELEGACIA DE POLÍCIA CIVIL PARA DEMAIS PROVIDÊNCIAS.



NA RUA PREFEITO JOSE BUHRER JUNIOR, A EQUIPE ATENDEU UMA OCORRÊNCIA DE BRIGA GENERALIZADA ENTRE FAMILIARES QUE MORAM NUM MESMO TERRENO, ONDE EXISTEM 05 (CINCO) RESIDENCIAS.

EM CONTATO COM AS PARTES, ESTES RELATARAM QUE A CONFUSÃO SE INICIOU NA NOITE ANTERIOR NO CLUBE T11 E TERIA SE ESTENDIDO NA MADRUGADA.

APÓS ACALMAR OS ÂNIMOS AS PARTES FORAM IDENTIFICADAS E ORIENTADAS A COMPARECER NA DELEGACIA DE POLICIA CIVIL EM DATA POSTERIOR CASO DESEJEM EXERCER DIREITO DE REPRESENTAÇÃO.



EM IRATI, NA  RUA ALFREDO BUFREM, CENTRO, UM ESTABELECIMENTO COMERCIAL FOI ARROMBADO, E DO LOCAL FORA FURTADO UM MOSTRUÁRIO DE JOIAS O QUAL ESTAVA CARREGADO COM PULSEIRAS, BRINCOS ANÉIS E PINGENTES. O LOCAL POSSUI MONITORAMENTO POR CÂMERAS DE VIGILÂNCIA ENTÃO A VÍTIMA FOI ORIENTADA A COMPARECER NA DELEGACIA DE POLÍCIA CIVIL PARA QUE OS INVESTIGADORES TENTEM FAZER O RECONHECIMENTO DO AUTOR.

AINDA FOI REALIZADO O PATRULHAMENTO, MAS O SUSPEITO NÃO FOI LOCALIZADO.




ÁS 19H35MIN A EQUIPE POLICIAL ABORDOU UM MASCULINO NA RUA VEREADOR ALBINO, LOTEAMENTO PABIS, O QUAL POSSUI MANDADO DE PRISÃO EM ABERTO EM SEU DESFAVOR EXPEDIDO PELA COMARCA DE IMBITUVA.




ÁS 03H50MIN DURANTE PATRULHAMENTO PELA RUA DA LIBERDADE, FOI ABORDADA UMA MOTOCICLETA HONDA CG 125, ONDE EM BUSCA PESSOAL NADA DE ILÍCITO FOI LOCALIZADO, POREM EM CONSULTA A DOCUMENTAÇÃO FOI CONSTATADO DE QUE O CONDUTOR NÃO POSSUIA CNH POR SER UM MENOR DE IDADE.  

DIANTE DO FATO O CONDUTOR FOI ENCAMINHADO PARA A 41 DELEGACIA REGIONAL DE POLICIA CIVIL ONDE FOI ENTREGUE PARA AQUELE ÓRGÃO E POSTERIORMENTE ENTREGUE A SEUS RESPONSÁVEIS.

Rompimento da Barragem da Vale em Brumadinho Mina Córrego do Feijão

             Transcorridos pouco mais que três anos do rompimento da barragem de Fundão, da mineradora Samarco, controlada pela Vale e pela empresa australiana BHP Billiton em Mariana, Minas Gerais, em novembro de 2015, mais um desastre ambiental acontece, com o rompimento hoje de uma barragem da Mina do Feijão, da mesma Vale, em Brumadinho. As primeiras informações indicam que os rejeitos atingiram a área administrativa da companhia e parte da comunidade da Vila Ferteco.

            Realmente não conseguimos aprender com nossos erros. Aconteceu de novo.

Se acatadas as recomendações da Comissão Externa do Rompimento de Barragem na região de Mariana (CEXBARRA), coordenada pelo Deputado Sarney Filho do PV-MA, das quais destacamos os Projetos de Lei nº 4.285/16, que equipara a resíduos perigosos os rejeitos de mineração depositados em barragens à jusante das quais existam comunidades que possam ser atingidas; o PL nº 4286/2016, que altera a Lei de Crimes Ambientais para dispor sobre o valor das multas em caso de desastre ambiental e o PL 4287/2016, que propõe aperfeiçoamentos à Lei nº 12.334/2010, que trata da segurança de barragens, certamente, episódios lamentáveis como o rompimento da barragem da Samarco, não mais aconteceriam em nosso País.

Preferiram, justamente, o caminho contrário, com o discurso ultrapassado e danoso para todos os setores do nosso País, de que o meio ambiente seria apenas uma variável para atrapalhar o desenvolvimento. Ora, se não houver sustentabilidade não existirá desenvolvimento. Só para termos uma dimensão exata do que está ocorrendo, há apenas duas horas do rompimento da barragem da Mina do Feijão, as ações da Vale despencaram no mercado financeiro, segundo informações divulgadas pela Agência Brasil (EBC), ”por volta das 15h15, as ações da multinacional brasileira eram vendidas a US$ 13,35, com recuo de 10,16% em relação ao fechamento de ontem (24)“. Tudo isto ainda sem computar o valor de multas ambientais, o valor de programas de recuperação socioambiental, dentre outros. Será que é mesmo a legislação ambiental que atrapalha o desenvolvimento da Nação?!

Neste diapasão, foi apresentada e aprovada no âmbito do Congresso Nacional, a Medida Provisória nº 790/2017, alterando o Código de Mineração e dispondo sobre regime especial para exploração e aproveitamento das substâncias minerais, diminuindo, vertiginosamente, as exigências que se esperam para este tipo de atividade, uma das mais impactantes do ponto de vista socioambiental, desconsiderando, só para ficar em alguns exemplos: a responsabilidade do minerador com os impactos sociais e com a precaução, mitigação e compensação pelos impactos socioambientais gerados pela atividade; bem como a responsabilidade pela prevenção de desastres ambientais, incluindo a elaboração e implantação de plano de contingência. Nem mesmo a proposta de um seguro obrigatório para estas finalidades foi contemplada.

Por outro lado, precisamos considerar os alertas oriundos do Relatório de Segurança de Barragens relativo ao ano de 2017, publicado pela Agência Nacional de Águas (ANA).

Trata-se de importante instrumento que torna evidente os desafios para a implementação da Política Nacional de Segurança de Barragens (PNSB). O relatório traz também recomendações para que esta implementação se dê com mais agilidade e efetividade. E para isso é preciso avançar na elaboração de um Plano Plurianual de Fiscalização; melhorar a articulação entre a Defesa Civil e os empreendedores de barragens; estabelecer parcerias entre os órgãos fiscalizadores; padronizar informações, dentre outras ações.

O relatório também traz dados preocupantes, como a incerteza de que 76% das barragens cadastradas não estão se submetendo na íntegra ao que exige a Política Nacional de Segurança de Barragens. Outro dado alarmante é que apenas cerca de 3% das barragens são vistoriadas anualmente.

Os órgãos de fiscalização listaram ainda 45 barragens que possuem algum tipo de comprometimento importante em termos de segurança, sendo, portanto, prioritárias para o desenvolvimento de ações que garantam sua segurança e evitem acidentes.

No tocante aos impactos socioambientais que serão gerados em função do rompimento da Barragem da Vale em Brumadinho, ainda não se tem a exata dimensão do seu alcance. Existem sim enormes preocupações que podem afetar direta e indiretamente outras atividades e regiões.

Por exemplo, hoje mesmo as visitas ao Instituto Inhotim, em Brumadinho, sede de um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil e considerado o maior centro de arte ao ar livre da América Latina, foram interrompidas. 

O rio Paraopeba, que está recebendo todo o rejeito da mineração de pó de ferro, é um dos afluentes do rio São Francisco, que dependendo da magnitude da contaminação pode ser duramente afetado, trazendo prejuízos para toda Região Nordeste.

Agora, em que se pensa em votar o Projeto de Lei nº  3729/2004, sobre a lei geral do licenciamento ambiental, negligenciando importantes pontos para a segurança socioambiental, nos resta conclamar os colegas, no sentido de priorizar a votação e aprovação desses projetos apresentados pela CEXBARRA, para que, no âmbito parlamentar, a legislação referente à segurança das barragens possa a vir a ser aprimorada, e os retrocessos nesta questão, tão cara ao nosso País e ao nosso Povo, possam deixar de acontecer.

 E também faço um clamor ao Governo do nosso País para que não ignore o Relatório da ANA a fim de que essas situações como a do Desastre de Mariana (MG), considerado o maior desastre ambiental do mundo e rompimento da Barragem da Vale em Brumadinho (MG) não mais ocorram. O governo deve ter o compromisso de promover o fortalecimento institucional dos órgãos responsáveis pela fiscalização; intensificar e priorizar o processo de fiscalização, monitoramento e cadastramento para garantir a segurança das barragens, além do fortalecimento institucional dos órgãos responsáveis pela prevenção e ao atendimento aos acidentes e desastres ambientais.

Assessoria de Imprensa Deputada Leandre (PV-PR)

A Prefeitura de Araucária, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), confirmou que a 1ª unidade básica de saúde (UBS) a participar do Projeto Gestão Itinerante da Saúde (GIS) será a UBS Costeira (UBS Alceu Valle Fernandes). De 28 de janeiro a 02 de fevereiro, a unidade receberá uma série de ações focadas em reorganizar os procedimentos internos e também oferecer à comunidade serviços e orientações específicas.

Os usuários vinculados à UBS do Costeira terão dois momentos importantes durante a semana de ações na unidade. A primeira será no dia 30/01 (quarta-feira), às 13h30, quando os usuários da unidade são convidados a participar de uma reunião no Espaço Esperança (Rua Miguel Soares Moreira, 113, Costeira - 3905-6031). Será um momento de os usuários e técnicos conversarem sobre temas importantes para a UBS local.

No sábado (02/02), das 8h às 17 horas, haverá mutirão de serviços para os usuários vinculados à UBS do Costeira. Segundo a SMSA, haverá consultas que possuem maior demanda (previamente agendadas), coleta de preventivos (previamente agendada), testes de glicemia e aferição da pressão arterial, roda de conversa feminina com psicóloga, oficina do bebê; atividades educativas com gestantes, idosos e outros grupos; avaliação de idosos para verificar quem precisa de mais atenção, testes rápidos (HIV, sífilis, hepatites virais) com orientações e distribuição de preservativos, avaliação odontológica, verificação da carteira de vacinação dos usuários, entre outros.

Conforme a necessidade avaliada em consulta médica, usuários da UBS do Costeira poderão ser encaminhados para atendimentos em serviços de especialidades do município, exames no Hospital Municipal de Araucária ou exames contratados de terceiros. Outras secretarias municipais deverão dar suporte às ações.

Reorganização - Ao longo da semana de visita à unidade básica, a SMSA levará ao local parte do seu quadro técnico (incluindo da área administrativa, recursos humanos, infraestrutura e da Central de Regulação). Cada um desses profissionais, dentro da sua área de atuação, verificará como pode melhorar os processos na unidade. Haverá também encontro com os profissionais da unidade para tratar de demandas específicas. É preciso destacar que o GIS ocorrerá de maneira a não prejudicar os atendimentos agendados na unidade.

fonte Prefeitura de Araucária